Estado deve incluir laqueadura e vasectomia em programa de cirurgias eletivas

 Estado deve incluir laqueadura e vasectomia em programa de cirurgias eletivas

(Foto: ANGELO VARELA / ALMT)

O deputado estadual Xuxu Dal Molin (PSC) solicitou, em sessão plenária, que o governo do estado inclua os procedimentos de laqueadura e vasectomia no programa de retomada de cirurgias eletivas em Mato Grosso. O pedido foi oficializado por meio da Indicação 4743/2021, encaminhado ao governador Mauro Mendes (DEM), com cópia ao secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo.

Segundo o parlamentar, a indicação leva em consideração o aumento substancial de gestações não planejadas durante o período da pandemia de covid-19, bem como a do número de casos de abortamentos espontâneos, natimortos e demais complicações maternas.

“Com a imposição de medidas restritivas para frear o avanço da pandemia, muitos homens e mulheres deixaram de buscar por métodos contraceptivos gratuitos em postos de saúde. Diante disso, entendemos ser de extrema importância que o estado amplie a oferta desses procedimentos cirúrgicos”, avalia Dal Molin ao destacar a problemática enfrentada por uma gravidez não programada.

“A gravidez indesejada pode gerar consequências graves como abortos, depressão pós-parto, abandono de incapaz, entre outros problemas sociais dos quais o Estado não poderá se furtar”, justifica.

Retomada de cirurgias

Em 16 de junho, durante reunião com representantes dos 15 municípios que compõem o Consórcio de Saúde Vale do Teles Pires, o governo anunciou a retomada das cirurgias eletivas, suspensas desde o início da pandemia. O programa emergencial prevê a aquisição de 50 mil procedimentos cirúrgicos de diferentes especialidades médicas.

Estudo Febrasgo

Pesquisa divulgada recentemente pela Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) revela que mais de 80% das gestantes temem ser contaminadas em consultas de pré-natal ou durante a internação hospitalar por ocasião do parto.

Os estudados revelaram, ainda, que a cada cinco horas uma mulher morre por complicações gestacionais. Entre as causas mais comuns de morte estão a eclampsia, hipertensão gestacional com proteinúria significativa, hemorragia pós-parto e infecção puerperal.

Digiqole ad

Claryssa Amorim - Mais Que Fato

http://www.maisquefato.com.br

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.