AMM encaminha ofício a Mendes pedindo a proibição da venda de bebidas alcoólicas por 15 dias

 AMM encaminha ofício a Mendes pedindo a proibição da venda de bebidas alcoólicas por 15 dias

O presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga, encaminhou nesta quinta-feira (25) ao governador Mauro Mendes (DEM), um ofício pedindo que o Estado adote medidas mais rígidas para conter a Covid-19.

Neurilan encaminhou também ao presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado Max Russi (PSB), além de todos os 141 prefeitos do Estado.

No documento, Fraga argumentou que mesmo a Assembleia ter reprovado o projeto do Executivo Estadual em antecipar os feriados por 10 dias corridos, isso não impede que outras providências sejam tomadas pelos gestores.

“Entendemos que as medidas adotadas até agora visam frear o descontrole, mas não são suficientes para controlar a pandemia”, argumentou.

As recomendações são as seguintes:

1-Proibição de venda de bebidas alcoólicas por qualquer estabelecimento comercial nos próximos 15 dias;

2-mudança no horário de funcionamento dos supermercados. A sugestão que de segunda-feira a sábado, o horário seja estendido das 5hs da manhã até 20hs, e no domingo, mantido o horário das 5h até as 12h, medida que poderá diminuir as aglomerações dentro dos estabelecimentos.

3 – Fechamento do atendimento ao público nos órgãos da administração municipal, com funcionamento interno e horários reduzidos, bem como, o uso do trabalho remoto, home office, evitando que os servidores se aglomerem no local de trabalho;

4 – Proibição de reuniões presenciais com priorização de atividades de forma remota mediante o uso de ferramentas tecnológicas;

5- Cancelamento de todos os eventos, de qualquer natureza, que envolvam aglomeração, festivais, eventos culturais, esportivos, reuniões, cultos religiosos, inaugurações, feiras e shows;

6 – Suspensão das aulas presenciais nas escolas estaduais e municipais;

7 – Fechamento de parques e praias, espaços públicos que gerem aglomerações de pessoas;

8 – Liberação dos servidores públicos acima de sessenta anos, obesos, hipertensos, diabéticos, gestantes/lactantes, e pessoas com doenças respiratórias, além daqueles que convivem com pessoas enquadradas como grupo de risco;

9 – Suspensão do ponto eletrônico para o controle da jornada dos servidores públicos escalados, devendo adaptar o controle através de livro ponto;

10 – Controle do acesso nos estabelecimentos comerciais e industriais, de modo a garantir o distanciamento entre as pessoas, com lotação máxima de 30% da sua capacidade;

11 – Garantir a distância mínima de um metro e meio entre as pessoas, em caso da formação de filas externas nos estabelecimentos comerciais;

12 – Controlar o acesso nos supermercados restringindo a entrada de um membro por família;

13- Medir a temperatura corporal das pessoas na entrada dos estabelecimentos, impedindo a sua entrada em caso de registro igual ou superior a 37,5 graus.

14 – Manter as rotinas para os servidores públicos, recomendar para lavarem as mãos com frequência, usar álcool em gel na concentração de 70%, papel descartável, aumentar a limpeza dos ambientes;

15 – Ampliar a frequência a desinfecção de locais como: pisos, banheiros,. corrimãos, maçanetas, interruptores, janelas, telefones, teclados de computador, controles remotos, máquinas, elevadores e outros

16 – Manter os ambientes bem ventilados;

17 – Manter a suspensão das férias, licenças concedidas a qualquer título dos servidores públicos da área da saúde, para que auxiliem no combate do Covid-19;

18 – Manter a restrição as viagens e concessão de diárias aos servidores públicos, que será autorizada somente por decisão da Comissão Especial criada para o enfrentamento da Covid-19;

19- Suspensão de consultas e cirurgias eletivas;

20 – Manter a suspensão de atividades que envolvam grupos da terceira idade em virtude de estes estarem vulneráreis ao Covid-19;

21- A instalação de barreiras sanitárias nas entradas e saídas das cidades, principalmente os municípios que fazem divisa com outros estados;

22 – A instalação de barreiras rodoviárias pelas policias federal e estadual nas principais vias de acesso das cidades polos, nos feriados e finais de semana, como forma de diminuir a circulação de pessoas;

23 – A intensificação da fiscalização e a obrigatoriedade do uso de máscaras, distanciamento mínimo, no funcionamento das atividades essenciais, tais como mercados, postos de gasolina, farmácias e outros;

24 – A criação de uma força tarefa entre o município, Ministério Público, Polícia Civil e Militar, Procon, Corpo de Bombeiros, e entidades de classe, para empreender uma ação de fiscalização intensiva, para que sejam respeitadas as restrições impostas;

25 – Todos os estabelecimentos devem dar total publicidade das regras e recomendações de biossegurança, por meio de cartazes ou painéis explicativos que devem estar bem visíveis e distribuídos nas áreas de operação das respectivas atividades comerciais.

Digiqole ad

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *