Após boletim de ocorrência, Ouvidoria-geral da PM investiga policial por ameaças a grafiteiro

 Após boletim de ocorrência, Ouvidoria-geral da PM investiga policial por ameaças a grafiteiro

A Ouvidoria Geral de Polícia de Mato Grosso abriu um procedimento administrativo (PAD) contra um policial militar – identidade não divulgada -, para investigar ameaça de morte contra o grafiteiro cuiabano, Jean Siqueira. O artista registrou boletim de ocorrência sobre um suposto abuso de autoridade contra um homem que se identificou como policial militar, no Centro de Cuiabá.

Tudo começou quando Jean grafitou, em uma parede de construção desocupada, uma arte com críticas ao presidente Jair Bolsonaro.

O ouvidor geral de Mato Grosso, Lúcio Andrade, disse que após abrir o PAD, a ouvidoria encaminhou o caso para a Corregedoria da PM apurar a atitude do policial.

“Ele [Jean] denuncia que foi ameaçado supostamente por um policial militar. A Corregedoria vai fazer as diligências e vai instaurar um procedimento investigativo sobre o fato. Aqui na ouvdoria não é um órgão disciplinar, é um órgão que recebe as demandas da população. Então as demandas chegam e a gente dá o devido acompanhamento ao caso. No caso do Jean, como se tratava de um policial militar, isso foi encaminhado à Corregedoria da PM e vamos acompanhar o caso”, explicou o ouvidor.

Segundo Jean, enquanto ainda finalizava o grafite na parede, um homem parou de carro e ficou observando. Em seguida, o suposto policial segurou uma arma e fez críticas ao trabalho artístico de Jean. No boletim consta que o homem teria se identificado como policial militar e feito ameaças.

“Já tatuei coronéis e policiais da Rotam, conheço muitos PMs, mas algumas vezes a abordagem é verbalmente agressiva”, desabafou Jean.

Jean conseguiu registar o boletim contra o homem, porque conseguiu gravar a placa do carro. Rapidamente, ele registrou o BO virtual e em seguida foi a uma delegacia da Polícia Judiciária Civil. Confirmando que se tratava de um agente da segurança pública estadual, a Ouvidoria Geral de Polícia registrou o caso e pediu providências à corregedoria da PM.

Digiqole ad

Claryssa Amorim - Mais Que Fato

http://www.maisquefato.com.br

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *