Após tentativas de impedimento, Justiça autoriza eleição da AMM; votação segue até às 17h de hoje, 15

 Após tentativas de impedimento, Justiça autoriza eleição da AMM; votação segue até às 17h de hoje, 15

(Crédito: Vicente de Souza)

Após vários embates com processos jurídicos contra a aeleição da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM) para o triênio 2021-2023, a eleição foi permitida pela Justiça e segue até às 17h, desta terça-feira (15). A votação está sendo conduzida pela Comissão Eleitoral, presidida pelo prefeito de Rosário Oeste, João Balbino.

Na abertura dos trabalhos, os candidatos à presidência da AMM, Mauro Rosa, prefeito de Água Boa, e Neurilan Fraga, ex-prefeito de Nortelândia, falaram aos prefeitos, destacando as suas principais propostas para a administração da AMM.

O prefeito de Água Boa, Mauro Rosa, que lidera a Chapa 1, salientou a importância da responsabilidade da administração da AMM e destacou que irá atuar no fortalecimento da parceria com órgãos governamentais, buscando as instituições federais, estaduais, órgãos fiscalizadores, entre outros. O gestor lembrou que 2020 foi um ano difícil para os municípios, devido à pandemia, que afetou vários setores, principalmente a saúde e a economia.

“Os prefeitos eleitos e reeleitos, que passaram por muitas dificuldades, estão na expectativa de um ano melhor”, destacou, acrescentando que realizou um trabalho à altura em Água Boa e tem condições de fazer uma boa administração na AMM também, abrindo portas e buscando fortalecer a atuação em defesa dos municípios.

O candidato Neurilan Fraga, ex-prefeito de Nortelândia e atual presidente da AMM, que lidera a Chapa 2, destacou que  a Associação evoluiu muito nos últimos anos, ampliando sua atuação institucional e de prestação de serviços. Fraga assumiu o compromisso de continuar trabalhando para garantir mais recursos para os municípios mato-grossenses.

“Vou continuar trabalhando com força, coragem e determinação,  implementando novos projetos  e melhorando a prestação de serviço aos municípios”, assinalou, ressaltando algumas lutas encabeçadas pela AMM nos últimos anos, como a compensação mais justa da Lei Kandir, cujo projeto teve início na AMM, e o repasse aos municípios do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab), conquistado pela instituição por meio de uma ação julgada pelo Supremo Tribunal Federal.

Digiqole ad

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *