Benzedeiras, índias velhas e xamãs são personagens de bonecas híbridas do ‘Círculo de Mulheres’

 Benzedeiras, índias velhas e xamãs são personagens de bonecas híbridas do ‘Círculo de Mulheres’

O imaginário místico da população cuiabana é tema da performance de bonecas híbridas do coletivo ‘Círculo de Mulheres’, que será transmitido entre os dias 20 e 21 de novembro nas redes sociais do Sesc Mato Grosso e do Coletivo.

Apresentação será com as atrizes Maria Clara Bertúlio, Millena Machado, Juliana Graziela, Thereza Helena e a atriz convidada Duda Dal Bello. A boneca híbrida faz parte do teatro de animações, na qual o artista usa o seu corpo para dar vida à boneca que é um personagem da obra.

O projeto busca realizar um resgate das narrativas da cultural local. Nessa perspectiva, a ação artística aborda as crenças da população cuiabana através de quatro anciãs de sabedoria milenar: a Xamã Epifânia, benzedeira Rosita, Índia Ró e a Pachamama, figuras místicas que compõem o arcabouço do patrimônio histórico-cultural e imaterial de Mato Grosso.
E, para respeitar as medidas restritivas de saúde contra a covid-19, o Coletivo vai transmitir a obra nas redes sociais como forma de democratizar o acesso a arte. O projeto é financiado pela Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer de Cuiabá (SMCEL) por meio do edital da Lei Aldir Blanc.


*Millena Machado*
A atriz e bonequeira, Millena Machado, por meio do seu corpo dá vida a, boneca Epifânia, uma xamã conhecida como a velha curandeira. Sabedora dos segredos da natureza ela ajuda os enfermos com ervas, óleos, espelhos e frascos que carrega as águas dos rios. E para a sua proteção e para de quem necessita carrega consigo amuletos encantados e de boa fortuna.

*Maria Clara*
A atriz e bonequeira, Maria Clara, realiza a performance com a boneca, benzedeira Rosita, que aprendeu a técnica ancestral de benzer com a sua avó. Quem a procura necessitando de ajuda sempre é acolhido e recebe as suas bênçãos. Para se proteger sempre carrega ervas, principalmente um galho de arruda que serve para tirar o quebranto e mau olhado.

*Juliana Graziela*
A atriz e bonequeira, Juliana Graziela, empresta o seu corpo a boneca, Índia Ró, que na etnia xavante significa, ‘própria natureza’. A personagem usa uma enorme saia com filtros dos sonhos e cabaças, objetos que servem para abençoar e resinificar os sonhos daqueles que necessitam.

*Duda Dal Bello*
A artista, Duda Dal Bello, vai substituir a atriz e bonequeira, Thereza Helena. A performance será com a boneca Pachamama, que é a mãe ancestral do feminino na terra. Ela é a personificação da própria ‘Terra Mãe’.
Ela viveu por mais de mil anos e possui toda a sabedoria da natureza e do sagrado feminino. Em suas andanças, Pachamama, abençoa quem a cumprimenta.

Redes sociais de transmissão:
Sesc Mato Grosso: https://www.youtube.com/user/sescmatogrosso
Instagram: https://www.instagram.com/circulodemulherescba/?utm_medium=copy_link

Digiqole ad

Claryssa Amorim - Mais Que Fato

http://www.maisquefato.com.br

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.