Leitão: “Fávaro é senador de liminar, precisa galgar muito pra ter estofo”

 Leitão: “Fávaro é senador de liminar, precisa galgar muito pra ter estofo”

(Foto: reprodução/assessoria)

O candidato ao Senado da República, Nilton Leitão (PSDB), criticou seu adversário na disputa, Carlos Fávaro (PSD), que está interinamente no cargo, dizendo que ele só conseguiu ser senador por meio de liminar e ainda o acusou de praticar Caixa 2 durante a campanha nestas eleições.

Leitão disparou duras críticas contra Fávaro, durante entrevista ao vivo à TV Única, nesta quarta-feira (28), ao ser questionado sobre as acusações de agir contra o governo de Jair Bolsonaro e a favor de João Dória (PSDB), governador de São Paulo e declarado rival político do presidente.

Por ser do mesmo partido, Leitão tem sido acusado, nos programas eleitorais de Fávaro, de ser oposição a Bolsonaro.

“Não é verdade. O líder do PSDB é um dos vice-líderes do Bolsonaro. Isso é conversa de quem não tem proposta. Eu sou amigo de todo mundo, mas ninguém manda no meu mandato, a não ser o povo de Mato Grosso. Ao contrário do Fávaro, que quem manda no dele é Eraí Maggi”, disparou Leitão.

O candidato aproveitou o gancho e ainda acusou Fávaro de estar cometendo crime de Caixa 2 nestas eleições. Leitão ainda chegou a comentar que a cassação da juíza aposentada Selma Arruda foi “injusta”, dizendo que “Eraí Maggi bancou a cassação de Selma, com o advogado do Partido dos Trabalhadores”.

Leitão ainda acusou Fávaro de não pagar a equipe – marqueteiros e jornalistas – que trabalharam em sua última campanha para o Senado da República, em 2018.

“É um grupo empresarial que banca ele, bancou a cassação da Selma, que foi injusta. Acho que a Selma não cometeu 1% dos crimes que Fávaro cometeu. Fávaro não pagou marqueteiro dele, não pagou jornalista, ficou devendo e teve caixa 2 a torto e a direito, só que a Justiça não pegou. E ainda continua cometendo (crimes), comprando prefeito, vereador, gastando milhões de reais. Gastou mais de R$ 3,4 milhões pra poder cassar a Selma. Esse dinheiro obscuro que se gasta na mão de milionários, que querem ter nas mãos senadores de ‘estimação’, eles têm que me atacar mesmo”, acusou o tucano.

Por fim, Leitão disse que não consegue “nem avaliar” o mandato que Fávaro vem fazendo durante esse período interino, que já dura seis meses, após a cassação de Selma. Para ele, Fávaro não tem “estofo” para ser senador e precisa de mais experiência.

“O Fávaro ainda tem que galgar alguns cargos para poder ter estofo para ser senador. Ele é um senador por liminar, porque foi negado pelo TSE sua posse e uma liminar a peso de ‘não sei quantos’ em dinheiro, conseguiu assumir uma cadeira no Senado Federal. Não existe isso na história do Brasil, como se fosse um concurso público: se o primeiro não assume, o segundo assume. Agora, se a constituição fala que quem manda é o povo, é uma eleição que tem que colocar”, comentou.

Digiqole ad

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *