MAIO ROXO: Mês da conscientização das Doenças Inflamatórias Intestinais

 MAIO ROXO: Mês da conscientização das Doenças Inflamatórias Intestinais

O Dia Mundial da Doença Inflamatória Intestinal que é comemorado, em 19 de maio, está sendo lembrado durante todo este mês em diversas instituições estão promovendo a campanha MAIO ROXO, que visa chamar a atenção da sociedade para conscientização e melhoria na qualidade de vida dos pacientes de DII, que é uma inflamação contínua de parte ou totalidade do trato digestivo.

O presidente da Associação de Pacientes com Doenças Inflamatórias Intestinais e Doenças Raras de Mato Grosso (APDIIMT), Anderson Barbalho, faz um alerta à população sobre o diagnóstico precoce. Segundo ele, uma das maiores dificuldades enfrentadas pelos pacientes no Estado está na demora no diagnóstico precoce no Sistema Único de Saúde (SUS).

“Aqui em Mato Grosso o tempo para diagnosticar varia de um até três anos, dependendo da cidade que o paciente mora, e no país o tempo é o mesmo também. Quando é detectado na fase aguda, a maioria deles são submetidos a retirada de parte do intestino, progredindo para um câncer de colo retal”, disse.

Com a chegada da pandemia, Anderson relata que os ambulatórios foram fechados devido ao risco de contágio pelo vírus, ocasionando a suspensão no fornecimento dos medicamentos indicados para o tratamento.

“Muitos pacientes não foram acompanhados. Houve a falta de medicamentos que são fornecidos pelo Ministério da Saúde, retirados na farmácia de alto custo. Os custos para aquisição deles variam de R$ 5 mil a R$ 20 mil”, frisou.

Para ele, o Maio Roxo é de extrema importância, levando informações e orientações para aqueles que desconhecem a patologia. O papel da instituição é justamente esse, fazer o acolhimento primário dos enfermos.

“Estivemos na Câmara de Cuiabá para falar das nossas dificuldades e suas consequências e pedir políticas públicas em prol dos pacientes e melhor suporte na saúde pública”, explicou.

Por fim, Barbalho deixa um recado aos cidadãos para que se atentem aos sintomas, como por exemplo, dores abdominais, diarreia, cansaço, febre, sangramento retal, são os mais comuns.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de cinco milhões de pessoas sofrem deste mal.

Com informações do site Notícia Max

Digiqole ad

Elloise Guedes - Mais Que Fato

https://maisquefato.com.br/

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *