Para Emanuel, Riva é “bandido” e “leviano” por citar seu nome em delação premiada

 Para Emanuel, Riva é “bandido” e “leviano” por citar seu nome em delação premiada

(Foto: Marcus Mesquita)

O prefeito e candidato à reeleição de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), comentou sobre a delação premiada do ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Geraldo Riva, o chamou de “bandido” e disse que a atitude de incluí-lo entre os denunciados é uma “leviandade”.

O comentário foi sobre a delação de Riva, onde o ex-deputado afirmou à Justiça de Mato Grosso que Pinheiro teria recebido R$ 3,2 milhões de propina, quando ainda era deputado estadual.

Para Pinheiro, “causa estranheza os réus confessos tentando envolvê-lo em casos ilícitos, somente quando tomou posse como prefeito da Capital”. Para ele, as delações de Silval Barbosa e José Riva são “jogadas baixas” e politiqueiras.

“Tá na cara que é mais uma jogada baixa dos nossos adversários. Uma delação que envolve o maior ficha suja da história e envolve, segundo dizem, a maioria de Mato Grosso, mas só falam do Emanuel Pinheiro. Tem que provar. Que moral ele tem pra falar de mim, cadê prova? P…, mas dá indignação! Cadê esse dinheiro? Prova. Para de ser bandido, para de ser leviano”, disse Pinheiro, direcionado a Riva, durante entrevista ao programa Chamada Geral da Rádio Mega FM, na manhã desta segunda-feira (28).

Pinheiro ainda continuou alfinetando Riva e disse que “é fácil para um dos maiores ficha suja do país chegar falando das pessoas sem provar e todo mundo acreditar”. “Aí, eu tenho que ficar me defendendo de diversos ataques”.

O prefeito ainda ressaltou que não consegue entender que, em 30 anos de vida pública, as pessoas acreditem em um vídeo e em uma história supostamente inventada, de que teria recebido dinheiro ilícito.

Ele ainda esclareceu que não pôde comentar antes, devido ao sigilo do processo, mas que chegou a prestar depoimento à Justiça de Mato Grosso em maio de 2018.

“A melhor forma de me defender, é falando a verdade e, a verdade está no processo. […] Em 2018, eu, o Popó e outras pessoas já foram ouvidas e anexamos documentos de defesa. Apesar da injustiça e toda maldade sofrida nesse mar de lama, eu estava na hora errada e no lugar errado. […] Tenho 30 anos de vida pública. Se você tem a tendência de fazer algo ilícito, você faz sempre e não só uma vez”, esclareceu.

Entre várias questões comentadas durante a entrevista, Emanuel esclareceu novamente sobre essas acusações de Riva e Silval. Segundo delação do ex-governador Silval Barbosa, ele pagava propina aos deputados, na época, para aprovaram propostas do Governo na Assembleia. Para provar o pagamento da possível propina, Silval e seu então chefe de gabinete, Silvio Corrêa, filmaram os pagamentos. Foi quando aparece Emanuel Pinheiro pegando maços de dinheiro e guarda em um dos bolsos de seu paletó.

No entanto, o prefeito voltou a afirmar que irá provar que estava apenas fazendo um favor para seu irmão, o empresário Marco Polo de Freitas Pinheiro, conhecido como Popó. Ele destacou que o próprio relatório da Polícia Federal (PF) cita que existem “controvérsias” na delação de Silvio, ao citar Emanuel.

“Eu tinha afinidade com Silval Barbosa, por ser da base de governo dele e o Popó estava indo para vias de fato com o Silvio Correa, porque ele devia há muito tempo pra ele. Então, eu quis ajudar nesse problema todo e fui fazer um favor pessoal e eles começaram a filmar pra pegar alguém e acabou eu entrando junto. Mas, eu vou provar que isso tudo é mentira, eu não estava pegando dinheiro para algo ilícito”, destacou.

Digiqole ad

Notícias relacionadas

Insira um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *