Parada da Diversidade em Cuiabá é marcada por cobrança de direitos pela comunidade LGBTQIA+

 Parada da Diversidade em Cuiabá é marcada por cobrança de direitos pela comunidade LGBTQIA+

Sob o tema “Família de LGBTQIA+ orgulho de re(existir)”, a 18ª edição da Parada da Diversidade Sexual de Mato Grosso, que foi realizada no último sábado (4), em Cuiabá, aconteceu em meio ao escândalo que indignou a categoria na última semana na Assembleia Legislativa de Mato Grosso. A maioria dos parlamentares votaram contra o Conselho LGBTQIA+.

Por onze votos a cinco, os deputados estaduais de Mato Grosso rejeitaram durante sessão ordinária o Projeto de Lei 862/2021, mensagem governamental 154/21, que cria o Conselho Estadual dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Para um dos organizadores do evento Clóvis Arantes, a votação foi um descompromisso com comunidade LGBTQIA+.

“Eles simplesmente acenaram o descompromisso daquela Casa de Leis para a comunidade LGBTQIA+, para os direitos da comunidade. As pessoas as vezes não entendem o que é o Conselho LGBTQIA+, que é a possibilidade de estarmos dialogando com o poder executivo, com o poder judiciário e com o poder legislativo. Por que as nossas vidas e nossas pautas não são colocadas no dia-dia, quando se discute educação, saúde, emprego e renda”, pontuou Clóvis.

Em relação ao evento, Clóvis disse que foi bastante proveitoso para dar um recado aos deputados que votaram contra o Conselho LGBTQIA+. “A população LGBTQIA+ tem CPF, ela tem título de eleitor, ela paga imposto e nós avaliamos com muita positividade, pois a nossa parada foi maravilhosa e as pautas estavam presente. A parada foi para todos saberem que nós existimos e resistimos”.

Clovis ainda afirmou que o Conselho não irá desistir de lutar até conseguir um espaço. Segundo ele, os protestos vão continuar assim como os diálogos com os representantes de cada instituição.

“A derrota na Assembleia Legislativa para nós é só um momento. Sabemos que outros momentos vão chegar, outras pautas estão sendo colocadas na Assembleia contra os nossos direitos e nós vamos ter que resistir sim. Seremos mais organizados, mais pro-positivos e essa é a nossa intenção de fortalecer a coordenação da parada que está em vários movimentos. A comissão da parada ela é um movimento, um coletivo que estão em várias instituições que constroem a parada”, afirmou.

O evento que teve concentração na Praça Ipiranga, Centro de Cuiabá, e saiu em marcha rumo à Praça das Bandeiras, na Avenida Historiador Rubens de Mendonça, a Avenida do CPA, reuniu milhares de participantes e teve predominância de jovens.

Caminhões de som animavam a galera, que ia ganhando apoio das pessoas nas ruas por onde passava. Devido à pandemia da covid-19, a organização preparou um esquema de segurança em respeito às medidas de biossegurança. A marcha contou com o apoio dos participantes em utilizar a máscara facial e manter o distanciamento social.

Digiqole ad

Claryssa Amorim - Mais Que Fato

http://www.maisquefato.com.br

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *