Presidente da OAB volta a cobrar reabertura do Judiciário em Mato Grosso 

 Presidente da OAB volta a cobrar reabertura do Judiciário em Mato Grosso 

Em entrevista ao Jornal da Capital FM nesta Sexta-Feira (25), a nova presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT), Gisela Cardoso, voltou a criticar o fechamento das portas do Poder Judiciário em Mato Grosso, com o retorno da e a pandemia da Covid-19.

“Precisamos nos readequar a essa nova realidade. Praticamente todos os setores, os poderes de forma geral estão buscando alternativas para continuar prestando sues trabalhos”, pontuou.

Gisela lembra ainda que na semana passada, a diretoria da entidade participou do encontro interinstitucional do Tribunal de Justiça, realizado para debater as próximas ações do Judiciário no enfrentamento à pandemia.

“Acreditamos que temos experiência suficiente para garantir a segurança dos servidores e do público atendido. Os meios remotos disponibilizadas pelo Poder Judiciário têm um papel importante, mas a reabertura dos prédios, ainda que com restrições, é essencial para o exercício da advocacia e para garantir à sociedade o acesso à Justiça”.

O Poder Judiciário de Mato Grosso continua atendendo remotamente, desde o início de 2022. Em janeiro ainda a OAB encaminhou um ofício, se posicionando a favor da imediata reabertura e da retomada das atividades presenciais.

“A OAB vem pedindo desde sempre a reabertura com medidas que garantem a segurança do servidor”, completou.

Gisela finaliza dizendo que a instituição em todo Estado vê falhas em meios virtuais e reitera a importância dos serviços presenciais.

“Fizemos uma reunião com os presidentes das 29 Subseções da OAB no Estado e a informação que recebemos é que as dificuldades de acesso aos magistrados e servidores pelas ferramentas virtuais aumentaram sobremaneira. É uníssono esse posicionamento”, finalizou.

 

Digiqole ad

Jessica Nunes - Mais Que Fato

http://www.maisquefato.com.br

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.