Ação da prefeitura leva atendimento à população transexual em Cuiabá

 Ação da prefeitura leva atendimento à população transexual em Cuiabá

A Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência, realizou uma ação voltada ao atendimento e inclusão social dos grupos minoritários, no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Na última sexta-feira (26), a Secretaria entregou 60 kits contendo álcool em gel, máscara e preservativos para transexuais em dois pontos da cidade. A ação faz parte de um conjunto de iniciativas que está sendo desenvolvido pela gestão do prefeito Emanuel Pinheiro, visando à implementação de políticas públicas efetivas com foco na humanização e inclusão social.

“Essa é uma demanda dos transexuais que por conta da pandemia passaram a enfrentar mais dificuldades e limitações. A ideia é de que a partir de iniciativas como essa, possamos levar atendimento aos grupos LGBTQIA+ e a partir da escuta, construir políticas públicas cada vez mais inclusivas, através do diálogo”, destacou a secretária-adjunta Christiany Fonseca.

A ação de abordagem contou com o apoio do Conselho Municipal da Juventude e foi realizada em dois pontos da cidade, na Avenida Fernando Corrêa da Costa e nas proximidades do Posto São Matheus, na BR-364, saída de Cuiabá.

“Como uma gestão humanizada, que trabalha pela inclusão social, além da prevenção das doenças sexualmente transmissíveis, essa ação, em razão da vulnerabilidade desses grupos, tem uma importância maior nesse momento de pandemia”, destacou Juarez França, do Conselho Municipal da Juventude.

Criado em agosto do ano passado, o órgão atua dentro de um novo foco, a prevenção, a promoção e inclusão dos grupos minoritários e em risco social. “Não se trata de assistencialismo. Sabemos a vulnerabilidade natural das ruas e essa é uma forma de cuidar de todos, pensando em algo maior. A gestão Emanuel Pinheiro, ao criar a Secretaria Adjunta de Direitos Humanos, e num trabalho em parceria com os Conselhos Municipais, está buscando a interlocução com esses grupos sociais que antes não tinham voz dentro da gestão”, disse Juarez França.

Para Megh, que foi uma das atendidas, a iniciativa é válida. “É maravilhoso porque com ou sem pandemia precisamos trabalhar. E o kit é uma segurança a mais”, disse ela.

Kiara Tavares também gostou da iniciativa. “Geralmente, a gente que é acompanhante e trabalha na noite é muito esquecida. Na verdade, a sociedade nos olha com certo receio e até desprezo. Essa ação vem nos atender, trazendo uma proteção nesse momento”, disse.

Digiqole ad

Elloise Guedes - Mais Que Fato

https://maisquefato.com.br/

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *