Mesmo sendo profissionais da saúde, MP quer que retire os que não têm risco de contágio do plano de vacinação

 Mesmo sendo profissionais da saúde, MP quer que retire os que não têm risco de contágio do plano de vacinação

(Foto: Foto: John Cairns/University of Oxford / AFP)

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT) recomendou a Cuiabá e Rondonópolis (a 218 km de Cuiabá) que excluam do grupo prioritário do plano Municipal de vacinação contra à Covid-19, profissionais da saúde cuja as atividades não são de risco direto de contágio do vírus. A orientação é para que sejam emitidos atos administrativos com qualificação restrita da categoria “trabalhadores da saúde”.

O MP recomendou ainda que seja regulamentada a priorização dos grupos de vulnerabilidade extrema e de maior risco, como idosos e pessoas com comorbidades graves. No documento, os promotores de Justiça destacam a importância da adoção de medidas para evitar irregularidades na organização do estoque e aplicação dos frascos da vacina.

A sugestão apresentada é para que sejam definidos protocolos de transparência na aplicação das vacinas contra a Covid-19, nos quais o usuário possa verificar a entrada e saída do imunizante, com a dose em seu interior antes da aplicação e vazia após sua inserção.

Além disso, visando a prevenção de quaisquer desvios de estoques, que adotem o controle de frascos após o esvaziamento para conferência de sua quantidade antes do descarte.

Digiqole ad

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *