Ouvidoria da Defensoria Pública disponibiliza nova ferramenta de comunicação no site do órgão

 Ouvidoria da Defensoria Pública disponibiliza nova ferramenta de comunicação no site do órgão

A Ouvidoria-Externa da Defensoria Pública de Mato Grosso disponibilizou um novo canal de recebimento de reclamações, pedidos de ajuda, denúncias e outros, com destaque na página principal do site da DPMT. O cidadão que tiver dificuldades de acesso à serviços públicos e mesmo de contato com os profissionais da DPMT, agora contam também com o formulário eletrônico, mais uma ferramenta de comunicação.

Por meio da aba “Clique Aqui para Falar com a Ouvidoria”, o cidadão poderá preencher um questionário, onde deixará dados pessoais tais como nome, endereço de e-mail, telefone para contato, Registro Geral, CPF e indicará o assunto para o qual busca a solução. O formulário traz opções de respostas objetivas, que devem ser marcadas e de perguntas descritivas, nas quais o usuário precisará escrever.

Automaticamente a equipe da Ouvidoria receberá as informações e fará o encaminhamento delas a quem puder solucionar, informa o ouvidor-geral, Cristiano Preza. “Recebemos muitas demandas da população. E quando é o pedido individual, percebemos aumento dos assuntos relacionados à família e direito do consumidor. Quando a demanda é coletiva, as maiores reclamações estão ligadas à baixa frota de ônibus, falta de água, asfalto, aumento de energia, do gás, depende muito do município”, informa.

Preza lembra que pedidos de abertura de postos de saúde e de medicamentos também são grandes. Ele explica que logo que as solicitações chegam, são analisadas e encaminhadas para solução.

“Alguns casos enviamos para o defensor público-geral, para os coordenadores dos Grupos de Atuação Estratégica da Defensoria e também para defensores e servidores, que tentam a solução administrativa. E não resolvendo, a solução é judicializar e entrar com ações”, informa.

O ouvidor afirma que o trabalho da Ouvidoria, de ser uma ponte entre o cidadão e a Defensoria, atinge populações extremamente carentes, sem acesso à internet, celular, que vivem situação de extrema vulnerabilidade econômica e social.

“A vida do povo carente está muito delicada, muita gente sem dinheiro para comprar alimento. E por esse motivo acreditamos que iniciativas como essas podem funcionar, principalmente como canal de comunicação com a sociedade civil organizada, que acompanha os dramas individuais mais de perto e podem nos acionar”, disse.

Para apresentar a nova ferramenta, o ouvidor informa que fez uma reunião com alguns representantes de entidades da sociedade civil organizada, tais como a Associação dos Pacientes com Doenças Inflamatórias Intestinais de Mato Grosso (APDII-MT),  Associação das Famílias Negras e Periféricas de Mato Grosso (AFANP – MT), Associação Mato-Grossense dos Autistas (AMA), Associação dos Portadores de Espinha Bífida, e outros, na quarta-feira (21/7).


“É  com muita alegria que implantamos esse formulário eletrônico no site da Defensoria, pois há algum tempo buscávamos esse resultado. Agora, conseguimos. Essa é uma de nossas competências, estabelecer meios de comunicação direta com a sociedade e adotar providências pertinentes, informar o resultado das demandas. É mais uma opção de acesso enquanto dura essa suspensão de atendimento presencial a população”, disse.

Na ocasião foi criado o grupo “Humanizar”, que ficará responsável pela construção do Guia de Atendimento Humanizado. E a eles também foram apresentadas todas as formas atuais de atendimento virtual da Defensoria Pública, por meio de link no site e de telefones funcionais que recebem mensagens pelo aplicativo Whatsapp.

Digiqole ad

Claryssa Amorim - Mais Que Fato

http://www.maisquefato.com.br

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.