Brasil aplicou ao menos uma dose de vacina em mais de 12,7 milhões, aponta consórcio

 Brasil aplicou ao menos uma dose de vacina em mais de 12,7 milhões, aponta consórcio

(Foto: Luiz Alves/Prefeitura de Cuiabá)

Balanço da vacinação contra Covid-19 desta terça-feira (23) aponta que 12.793.737 pessoas já receberam a primeira dose de vacina contra a Covid-19, segundo dados divulgados até as 20h. O número representa 6,04% da população brasileira.

A segunda dose já foi aplicada em4.334.905 pessoas (2,05% da população do país) em todos os estados e no Distrito Federal.

No total, 17.128.642 doses foram aplicadas em todo o país.

Na segunda-feira (22), o consórcio informou incorretamente que Sergipe tinha aplicado mais de 180 mil doses da vacina. Na verdade, foram mais de 108 mil. O número foi corrigido e hoje os dados de vacinação dos estado estão corretos.

A informação é resultado de uma parceria do consórcio de veículos de imprensa, formado por G1, O Globo, Extra, O Estadão de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL. Os dados de vacinação passaram a ser acompanhados a partir de 21 de janeiro.

Brasil, 23 de março

  • Total de pessoas que receberam ao menos uma dose: 12.793.737 (6,04% da população)
  • Total de pessoas que receberam duas doses: 4.334.905 (2,05% da população)
  • Total de doses aplicadas: 17.128.642 (59,85% das doses recebidas pelos estados)
  • Divulgaram dados novos (25 estados e o Distrito Federal): AC, AL, AM, AP, BA, CE, DF, ES, GO, MA, MG, MS, MT, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RN, RO, RR, RS, SE, SP e TO
  • Divulgaram em datas anteriores (1 estado): SC

Vacinados por estado

Total de vacinados, segundo os governos, e o percentual em relação à população do estado:

  • AC: 1ª dose – 40.449 (4,52%); 2ª dose – 10.895 (1,22%)
  • AL: 1ª dose – 165.613 (4,94%); 2ª dose – 51.101 (1,52%)
  • AM: 1ª dose – 403.455 (9,59%); 2ª dose – 117.881 (2,8%)
  • AP: 1ª dose – 38.038 (4,41%); 2ª dose – 14.528 (1,69%)
  • BA: 1ª dose – 1.032.464 (6,92%); 2ª dose – 298.383 (2%)
  • CE: 1ª dose – 521.709 (5,68%); 2ª dose – 193.450 (2,11%)
  • DF: 1ª dose – 228.491 (7,48%); 2ª dose – 70.299 (2,30%)
  • ES: 1ª dose – 227.890 (5,61%); 2ª dose – 74.529 (1,83%)
  • GO: 1ª dose – 353.300 (4,97%); 2ª dose – 110.997 (1,56%)
  • MA: 1º dose – 282.355 (3,97%); 2ª dose – 94.295 (1,33%)
  • MG: 1ª dose – 996.660 (4,68%); 2ª dose – 407.394 (1,91%)
  • MS: 1ª dose – 198.657 (7,07%); 2ª dose – 80.944 (2,88%)
  • MT: 1ª dose – 133.905 (3,71%); 2ª dose – 56.682 (1,61%)
  • PA: 1ª dose – 298.237 (3,43%); 2ª dose – 89.220 (1,03%)
  • PB: 1ª dose – 259.585 (6,43%); 2ª dose – 72.396 (1,79%)
  • PE: 1ª dose – 508.799 (5,29); 2ª dose – 185.744 (1,93%)
  • PI: 1ª dose – 134.719 (4,11%) ; 2ª dose – 44.263 (1,35%)
  • PR: 1ª dose – 582.991 (5,06%); 2ª dose – 195.177 (1,69%)
  • RJ: 1ª dose – 848.726 (4,89%); 2ª dose – 322.858 (1,86%)
  • RN: 1ª dose – 171.480 (4,85%); 2ª dose – 57.333 (1,62%)
  • RO: 1ª dose – 64.204 (3,57%); 2ª dose – 25.218 (1,40%)
  • RR: 1ª dose – 32.700 (5,18%); 2ª dose – 15.971 (2,53%)
  • RS: 1ª dose – 773.695 (6,77%); 2ª dose – 266.831 (2,34%)
  • SC: 1ª dose – 398.136 (5,49%); 2ª dose – 117.414 (1,62%)
  • SE: 1ª dose – 108.467 (4,68%); 2ª dose – 34.453 (1,49%)
  • SP: 1ª dose – 3.571.097 (7,71%); 2ª dose – 1.223.175 (2,64%)
  • TO: 1ª dose – 60.692 (3,82%); 2ª dose – 28.667 (1,80%)

Quantas doses cada estado recebeu até 23 de março:

  • AC: 132.520
  • AL: 409.660
  • AM: 811.904
  • AP: 91.650
  • BA: 2.039.600
  • CE: 992.400
  • DF: 402.610
  • ES: 535.720
  • GO: 847.780
  • MA: 845.690
  • MG: 3.159.730
  • MS: 420.310
  • MT: 334.360
  • PA: 946.040
  • PB: 579.730
  • PE: 1.260.960
  • PI: 392.080
  • PR: 1.500.450
  • RJ: 3.122.120
  • RN: 388.840
  • RO: 166.808
  • RR: 120.060
  • RS: 1.926.450
  • SC: 877.590
  • SE: 271.930
  • SP: 5.820.356
  • TO: 166.600

Origem dos dados

  • Total de doses: números divulgados pelos governos estaduais.
  • As informações sobre população prioritária e doses disponíveis são do Ministério da Saúde.
  • As estimativas populacionais são do IBGE.

Consórcio

O consórcio de veículos de imprensa foi formado em junho de 2020, em resposta a uma decisão do presidente Jair Bolsonaro de, na ocasião, restringir acesso a dados sobre a pandemia. Os boletins informam, atualmente, o número de pessoas mortas por coronavírus, a quantidade de contaminados e a média móvel, indicador segundo o qual é possível verificar em quais estados a pandemia do novo coronavírus está aumentando, diminuindo ou em estabilidade.

(Por G1)

Digiqole ad

Claryssa Amorim - Mais Que Fato

http://www.maisquefato.com.br

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *