Abrace o fracasso

 Abrace o fracasso

O medo está tão presente em nossas vidas que até perdemos a conta de quantas vezes esbarramos nesse sentimento tão assustador e ao mesmo tempo indispensável e sensato. Mas, já percebeu que a autossabotagem ou medo do fracasso está entre uma das expressões mais pesquisadas, atualmente?

Claro, que isso deve estar diretamente ligado ao momento atual em que estamos percorrendo, mas esse sentimento às vezes pode ser paralisante. São travas, limites, medos e inseguranças que se repetem ao longo do caminho por uma voz interna que nos impede de tomar uma atitude para sair desse lugar. Pode ser na vida pessoal, profissional ou emocional. É um medo de ser feliz. De fracassar. Tem feito isso? Parece que você está sendo controlado por uma força maior, pelo inconsciente ou não e sendo impedido de mudar. Mas, esses dias refletindo sobre esse assunto, me deparei que isso é confortável e é aí que está o grande problema.

Freud, o pai da psicanálise, escreveu em 1916 um artigo “Os que fracassam ao triunfar” que, basicamente, descreve as pessoas que se sentem aliviadas quando algo que tanto desejam não dá certo. Muitas pessoas amam o perfeccionismo e querem ter tudo sob controle. Mas, por que será que tantas pessoas têm tanto medo de falhar? E olha só, Freud mesmo já explicava que isso está relacionado com a nossa infância. A educação e as experiências do passado podem estar na base de muita ansiedade desde crianças.

Uma pessoa, por exemplo, que sofreu várias perdas ao longo da vida, seja de entes queridos, de possibilidades ou de relacionamentos, quando estão diante de uma nova conquista, inconscientemente diz “não vou conseguir”. Daí cria empecilhos e desiste. E o ciclo se repete.

É muito mais fácil ficar em um lugar da sua vida onde está confortável do que ter a coragem de encarar isso de frente. E sabe por quê? Pode doer e podemos fracassar. Tenho entendido cada vez mais que a autossabotagem está relacionada com o medo de fracassar.

E se esse entendimento me ajudou, pode ser que te ajude também, por isso resolvi compartilhar. A autossabotagem inibe descobertas de coisas boas ou ruins que trarão aprendizado. Por isso, mude de posicionamento. Nada na vida é garantido, o resultado pode ser o não esperado, o não planejado, o não desejado e precisamos entender que isso está tudo bem. O que não dá é sempre optar pela inércia e não resolver nada nunca. Lembre-se de que a vida é uma só. É preciso ter coragem e lutar contra o medo de falhar.

Infelizmente, muitas vezes na tentativa de sermos aceitos e reconhecidos esquecemos de viver realmente a vida e saborear os momentos e as experiências. Por isso, gosto de dizer que o fracasso não existe. Apenas existe feedback e se a resposta não for boa tente de novo e de novo até melhorar.

Dê uma chance a você mesmo. Essa conquista pode doer, mas alcançá-la é permitir revelar-se a si mesmo e ao mundo, livrar-se de culpas, receios e resgatar sua plenitude com a potencialidade que todos têm.

A autossabotagem e o medo de fracassar não podem ser maiores que a sua coragem. Pense nisso. Mais uma vez, não trago certezas, esses são só alguns pensamentos que permeiam minha vida. Mas, lembre-se, a vida está em constante mudança e transformação, siga esse ritmo de maneira consciente e viva bem. Abrace o fracasso, aprenda e cresça.

 

Escrito por: Fernanda Trindade

Jornalista em Cuiabá

Contato:trindade.jornaslimo@gmail.com

Digiqole ad

Roger - Mais Que Fato

http://www.maisquefato.com.br

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *