Para ganhar dinheiro, em 1º lugar é preciso gostar dele

 Para ganhar dinheiro, em 1º lugar é preciso gostar dele

(Foto: reprodução)

Em um país como o Brasil, permeado infelizmente por tantos casos de corrupção, enriquecimento ilícito e desigualdade social, frases como “Dinheiro é sujo”, “Só quem rouba fica rico”, “Dinheiro não dá em árvore”, “Rico não vai para o céu”, entre outras, acabam se tornam parte da nossa cultura. Se você ouviu coisas como “Filho, você vai ganhar muito dinheiro, ser muito próspero e ajudar muitas pessoas”, provavelmente sua relação com o dinheiro é muito positiva, mas geralmente é o contrário.

Quando você pensa no passado, o que mais lembra a situação financeira de sua família? Prosperidade, geladeira cheia, celebração ou a palavra de ordem era escassez e precisavam economizar no básico? Vou além, geralmente os vilões das novelas são ricos, retratados como os que mais prejudicam, exploram, fazem tramoias, ofendem e intimidam os outros. Não é assim? Ou seja, desde crianças estamos acostumados a assistir, na ficção, a imagem de um rico estigmatizado.

Acredite ou não, tudo o que vimos e ouvimos sobre dinheiro desde que nascemos influencia nossas vidas adultas e, no final, muitas vezes nos sabotamos pela ideia de que riqueza não é algo digno. Fazemos isso quando por exemplo, recebemos um aumento de salário e passamos a gastar mais ou quando afirmamos “estou guardando para uma emergência”. O que acontece? A emergência inevitavelmente chega. Quem nunca fez isso não é mesmo?

A boa notícia é que podemos mudar esse cenário.  É preciso alterar a sua crença para que o ciclo não se repita e você pare de se sabotar.  Uma maneira fácil de entender melhor suas crenças sobre dinheiro e riqueza é analisar seus sentimentos ao presenciar a riqueza do próximo.

Pessoas com crenças de prosperidade gostam de ver pessoas ricas, se motivam quando o próximo prospera e ganha dinheiro. Por isso, o título desse artigo é “Para ganhar dinheiro, em primeiro lugar, é preciso gostar dele”, mas só isso não basta. É preciso gostar de trabalhar também, afinal, ninguém alcança uma vida próspera sem esforço, sem competência e sem destaque.

Ressignifique suas crenças sobre dinheiro. Entenda que ele é necessário, e se ele for resultado de um trabalho sério, honesto e justo, com toda certeza ele virá como uma benção para você, aqueles que te cercam e até mesmo para que aqueles que você não conhece. Afinal, por menos que você ganhe, sempre há uma possibilidade de contribuir com o próximo, porque quanto mais generoso você é, mais prospera.

Uma das limitações dos seres humanos é terem a chance de contribuir, mas não o fazerem, acreditando que isso seria um desperdício. Ao deixar de ajudar, você cria mais uma amarra que impede o seu desenvolvimento e acaba dando ainda mais força para a crença financeira da escassez, pensando que pode faltar dinheiro ou que amanhã ficará sem.

Eu acredito seriamente que o universo conspira a favor das pessoas generosas, mas, o universo precisa de uma forcinha da nossa parte para que estejamos aptos a receber os benefícios de uma vida próspera.

A pessoa verdadeiramente rica vive na abundância e ajuda o próximo a melhorar sua condição também. É um ciclo de generosidade que se espalha e torna o mundo melhor, menos desigual e mais leve para se viver.

Eduardo Volpato é formado em Eletrônica e Especialista em Segurança Pública e Privada além de cursar Neurociências e Psicologia Positiva na PUCRS.

Digiqole ad

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *