Ao entregar cargo a deputado, suplente negro deixa projeto sobre igualdade racial

 Ao entregar cargo a deputado, suplente negro deixa projeto sobre igualdade racial

(Foto: reprodução/ALMT)

Com a saída do deputado estadual Henrique Lopes (PT), primeiro suplente de Valdir Barranco (PT), que retorna à Assembleia Legislativa na quarta (2), o Parlamento ficará sem representatividade negra entre as 24 cadeiras. O Projeto de Lei 958/2020, que institui o Plano Estadual de igualdade racial de Mato Grosso (Pepir-MT), está entre as propostas de Henrique que devem continuar tramitando na ALMT.

Henrique explicou que o Pepir-MT, caso aprovado, terá duração de 10 anos. O plano prevê ações permanentes e intersetoriais, que deverão ser incorporadas na agenda pública. Na prática, o principal objetivo é orientar no desenvolvimento de políticas públicas a população negra.

O deputado foi o único negro a tomar posse na ALMT nos últimos 12 anos. Segundo levantamento do Instituto Memória do Poder Legislativo (IMPL), em cinco legislaturas, apenas cinco deputados negros assumiram mandatos, entre titulares e suplentes.

“É uma equação muito simples: quanto menos negros e negras ocupando espaços políticos e de liderança, mais esquecimento. Em 2018, foram eleitos 27 governadores e nenhum deles era negro. É escancarando que muitos pretos estão longe de ocupar espaços de poder, apenas por não terem condições disso, por estarem nas periferias, que vamos provocar novas políticas pública”, afirmou.

O parlamentar ainda ressaltou a questão do extermínio da comunidade negra, premissa que também foi abordada na criação do Pepir-MT. Para Henrique, o combate ao racismo é urgente, começando por atitudes que demonstrem, na prática, que vidas negras importam.

Henrique Lopes também é autor de um projeto que visa tornar deliberativo o Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial de Mato Grosso (Cepir-MT).

Digiqole ad

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *