Comissão de Saúde da ALMT ouve Prefeitura de Araraquara sobre medidas adotadas para combate à Covid-19

 Comissão de Saúde da ALMT ouve Prefeitura de Araraquara sobre medidas adotadas para combate à Covid-19

(Foto: Marcos Lopes/ALMT)

A Comissão de Saúde, Previdência e Assistência Social da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) recebeu, nesta terça-feira (13), a secretária municipal de saúde de Araraquara (SP), Eliana Honain, e o secretário de assistência social, Marcelo Mazeta, que apresentaram as medidas adotadas no município para combater o avanço da covid-19 e que resultaram na redução de 75% dos óbitos no período de 1º de março a 04 de abril de 2021 e de 70% dos novos casos de 15 de fevereiro a 4 de abril.

Segundo Eliana Honain, que também é coordenadora do Comitê Municipal de Contingência da covid-19, as primeiras medidas tomadas em março de 2020 incluíram a capacitação das equipes da Atenção Primária e a criação de um fluxograma de manejo clínico de pacientes que apresentavam sintomas respiratórios ou síndrome gripal.

Para atendimento desses pacientes, seis unidades de saúde passaram a funcionar em horário estendido e equipes se dividiram para realização de visitas semanais em Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPI) e repúblicas de idosos, centros de ressocialização, penitenciárias, visitas domiciliares a idosos e casos de maior vulnerabilidade e de pessoas em situação de rua, com o objetivo de fazer a identificação precoce de casos.

Uma parceria com a Universidade Estadual Paulista (Unesp) possibilitou a testagem dos pacientes que apresentavam sintomas e a divulgação dos resultados em até 24 horas. Aqueles que testavam positivo eram monitorados diariamente por telefone por uma equipe médica e os que faziam parte do grupo de risco recebiam visitas domiciliares para acompanhamento, sendo realizadas internações preventivas daqueles com idades a partir de 45 anos e/ou com comorbidades.

Outra medida destacada pela secretária foi a criação de um comitê científico, com participação de representantes de universidades, do Poder Público e de especialistas responsáveis pelo atendimento na rede pública e privada. “Esse comitê cientifico se reúne semanalmente e é ele que dá as definições para o prefeito em relação ao que precisamos fazer”, relatou Eliana.

O diálogo constante com representantes do setor empresarial e com a sociedade civil também foi apontada pela gestora como uma medida que surtiu resultados positivos. Em dezembro de 2020, o município possuía 8.327 casos e a taxa de letalidade era de 1,1%

Em fevereiro de 2021, após aumento considerável dos casos e identificação da variante P1 em 93% dos casos positivos, a prefeitura decretou lockdown por 10 dias e tomou providências como: ampliação das equipes de bloqueio, testagem de todos comunicantes em seus domicílios, disponibilização de unidade de isolamento para pacientes que não tinham condições de se isolar em casa, internação domiciliar e abertura de seus unidades de saúde em horário estendido para testagem de sintomáticos e comunicantes.

“Instituímos ainda uma barreira sanitária na cidade. Todos que chegam têm que apresentar um teste negativo realizado nas últimas 48 horas. Caso não tenham, podem fazer na hora”, acrescentou a gestora. A vacinação, segundo ela, é realizada em seis locais de diferentes e o município conta ainda com duas unidades de drive-thru.

Marcelo Mazeta, secretário de assistência social, destacou a criação de uma rede de solidariedade, que possibilitou a entrega de cestas básicas e produtos hortifrúti para pessoas autônomas que precisam se afastar de seus trabalhos, bem como de um 0800 para atendimento das demandas oriundas da população vulnerável, além da ampliação de programas de transferência de renda.

Os deputados presentes na reunião, Dr. João (MDB), Dr. Gimenez (PV), Lúdio Cabral (PT), Paulo Araújo (PP) e Dr. Eugênio (PSB), parabenizaram os gestores pelos resultados alcançados. “Percebemos que houve planejamento, gestão e engajamento da sociedade como um todo”, afirmou Dr. João, acrescentando que as informações serão analisadas pela comissão e levadas em consideração para apresentação de propostas para Mato Grosso.

Vacinação

Por sugestão do deputado Lúdio Cabral, a Comissão de Saúde irá apresentar um requerimento para convocação do secretário de Estado e de secretários municipais de saúde, bem como de representantes do Ministério Público Estadual (MPE), do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Mato Grosso (Cosems/MT) e de universidades para debater as estratégias de vacinação adotadas em Mato Grosso e propor soluções para resolver os problemas encontrados.

“Das vacinas que Mato Grosso recebeu até o dia 27 de março para aplicação da primeira dose, 68 mil doses não foram aplicadas ainda quando comparamos as resoluções com o painel do Ministério da Saúde. Do que o estado recebeu para aplicação da segunda dose até o dia 10 de março, 42 mil doses não foram aplicadas. O que aconteceu com essas doses? Essas doses estão armazenadas ainda? Está havendo perda de vacina?”, questionou.

Digiqole ad

Claryssa Amorim - Mais Que Fato

http://www.maisquefato.com.br

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *