Secretaria e Conselho de Cultura visitam instituições contempladas com recursos da Lei Aldir Blanc

 Secretaria e Conselho de Cultura visitam instituições contempladas com recursos da Lei Aldir Blanc

Equipe da Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Smecel), juntamente com o Conselho Municipal de Cultura, está fazendo uma série de visitas a instituições que foram contempladas com recursos da Lei Aldir Blanc em Várzea Grande. As primeiras visitas foram às instituições contempladas no edital Nº 01/2020, cujos recursos são destinados para manutenção das atividades dos espaços culturais.

Participaram das visitas a subsecretária, Maria Alice de Barros, o superintendente de Cultura, Joilson Marcos da Silva, e o presidente do Conselho, Wanderson Magalhães Farias.

No Edital Nº 01 foram selecionadas 26 entidades culturais, entre elas estão a Associação Social Civil Asca-Abaiuc (Asca) e a Caminhando Para Mais Um Sonho (Acamis).

A Acamis recebeu R$ 30 mil reais do Edital nº 01/2020 para manutenção das atividades e ainda R$ 50 mil reais do Edital nº 04/2020 para realização do Projeto Ciranda de Flores, que tem por objeto a realização de oficinas de dança cultural regional e dança contemporânea urbana (hip hop) para crianças e adolescentes.

A Asca recebeu R$ 30 mil reais do Edital nº 01/2020 para manutenção das atividades e R$ 50 mil reais do Edital nº 04/2020 para realização do Projeto Artes e Criatividade no Fazer Teatral, Dança e Musicalidade, que tem por objeto a realização de oficinas de dança, teatro, musicalização (fanfarra), informática, letramento, raciocínio lógico e esporte.

Conforme explica Joilson Marcos da Silva, os recursos da Lei Aldir Blanc, sancionada em junho de 2020, são repassados pelo Governo Federal aos estados e municípios, que são responsáveis pela sua distribuição.

A lei garante uma renda emergencial aos trabalhadores que participam da cadeia produtiva dos segmentos artísticos e culturais, como artistas, contadores de histórias e professores de escolas de artes e capoeira. Os espaços artísticos e culturais, microempresas e pequenas empresas culturais, cooperativas e organizações comunitárias também são contemplados com a lei. As instituições beneficiadas deverão realizar atividades para alunos de escolas públicas ou para a comunidade, de forma gratuita.

“Em Várzea Grande, foram inscritos 112 projetos na Lei e selecionados 61, totalizando R$1.807.458,08 de auxílio financeiro para o setor cultural. A Smecel, por meio da Superintendência de Cultura, tem o papel de acompanhar os projetos contemplados pela Lei”, ressalta o superintendente.

Segundo Wanderson Magalhães, nesta semana, a equipe visitará as instituições contempladas no Edital 02/2020. São três organizações da sociedade civil com Pontos de Cultura certificados pela Política Nacional de Cultura Viva. “Nas semanas seguintes as visitas serão para as entidades que receberam recurso pelo Edital Nº 03/2020 e nº 04/2020”, explicou.

O Edital nº 02/2020 selecionou três organizações da sociedade civil que são Pontos de Cultura certificados pela Política Nacional de Cultura Viva.

O Edital 03/2020 selecionou iniciativas culturais já realizadas por pessoas físicas, mestres e mestras da cultura popular e profissionais das mais diversas expressões artísticas e culturais. Foram selecionados 24 mestres e profissionais da cultura.

No Edital nº 04/2020 foram selecionados oito projetos de Territórios Criativos com a seleção de projetos culturais nas áreas de produção, intercâmbio, formação e difusão de conteúdos, bem como ações culturais e artísticas.

Na Acamis são ofertadas atividades de apoio à aprendizagem escolar, incentivo à leitura, orientações pedagógicas e oficinas de esportes, arte e cultura, promovendo ações de prevenção e de educação integral para a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à segurança alimentar e nutricional, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à arte, à cultura, entre outras.

Maiara Patrícia Silva Correa, coordenadora da Acamis, explica que, atualmente, são atendidas 102 crianças, sendo 51 no período da manhã e outras 51 no período da tarde. No entanto, a meta é atender cerca de 200 crianças. “Uma das nossas metas é construir mais salas para o atendimento de um número maior de crianças. O prédio hoje não comporta mais que as 102 que são atendidas, mas a nossa demanda é grande e temos 50 crianças na fila de espera”, ressalta.

Segundo o presidente da Asca, José Dias de Souza, a entidade trabalha com 136 crianças e adolescentes de 6 a 16 anos, contemplando 122 famílias. “Em tempos de pandemia trabalhamos mais com a musicalização e a informática. Muitos alunos não têm internet em casa e então eles recorrem à instituição para fazer as tarefas escolares e assistir as videoaulas. Aqui é um lugar de acolhimento às famílias”, destacou.

A instituição trabalha em parceria com as escolas Senhora Dirce Leite de Campos, bairro Jardim Itororó, Salvelina Ferreira da Silva e Antônio Joaquim da Silva, ambas da região do Cristo Rei. “Graças a Lei Aldir Blanc nós conseguimos adquirir vários instrumentos musicais, como a marimba, que é muito cara e não teríamos condições de comprar se não fosse com esse recurso”, disse José Dias, lembrando que no mês de agosto a fanfarra vai representar o município de Várzea em um concurso nacional, que será realizado online e contará com a participação de vários estados. (Com assessoria)

Digiqole ad

Roger - Mais Que Fato

http://www.maisquefato.com.br

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.